Quero morar no Facebook!

Quero morar no Facebook.

Lá, só entram seres felizes, realizados, transbordantes de felicidade, estáveis, perfeitos, demasiadamente alegres, tal qual uma novela de Manoel Carlos. A diferença é que não moram no Leblon, mas fingem…

Quero morar no Facebook.

Lá, embora uma análise realista revele que a estória não é bem assim, todos tentam pateticamente incorporar personas felizes e exultantes.

Quero morar no Facebook.

Fosse eu terapeuta, odiaria o Facebook porque, para a maioria dos seus habitantes, é como se os caracteres do seu status tornassem desnecessária qualquer terapia psicológica ou psiquiátrica. Ou as duas ao mesmo tempo.

Mesmo assim, quero morar no Facebook.

Lá, a vida é uma festa interminável e nada custa caro.

Lá, as pessoas vivem num eterno Carnaval, aquela época em que os idiotas brasileiros, mesmo sem nada pra comer em casa, são “obrigados” a serem felizes.

Quero morar no Facebook.

Todo mundo tem dinheiro pra gastar. Frequentam todos os eventos disponíveis: velórios, shows, queimações de palhinha… Até aniversários de boneca e de cachorro.

Quero morar no Facebook.

Se lá tudo é de graça, não faz mal mergulhar acriticamente na estética da “felicidade” imbecil.

Quero morar no Facebook.

Lá, não há pessoas tristes. Não há profissionais mal resolvidos. Todos estão no emprego que adoram. Adoram acordar cedo ou dormir tarde por causa do trabalho que, mesmo pagando um salário de fome, é o auge de sua “realização”.

Quero morar no Facebook.

Lá, ninguém é hipócrita e todo mundo acredita piamente no que digita, mesmo que não ponha em prática porra nenhuma do que escreve.

Quero morar no Facebook.

Também quero ser “facebookiamente” bonito e ter fotos como num álbum de Poliana (aquela personagem imbecil que acha tudo lindo). E haja sorriso e felicidade patética…

Mesmo que, para alguns, o mundo de bits de Mark Zuckerberg seja a exacerbação patética da autoafirmação medíocre, eu quero morar no Facebook!

Quero morar no Facebook.

Quero virar um teletubbie sem cérebro e sem nada que me tire desse transe de alegria imbecil porque é isso que querem as pessoas que estão adicionadas no meu perfil, mesmo que eu recorrentemente “limpe” do meu perfil as pessoas com bom senso que ousam discordar da minha eterna alegria babaca.

Quero morar no Facebook porque lá todas as agruras do cotidiano se resolvem com um simples CURTIR. Acabam-se aí os problemas da vida…

Quero morar no Facebook.

Quero ser pateticamente feliz também.

Algum feliz imbecil de plantão sabe de uma vaga pra me indicar?

About these ads

4 Comentários

  1. òtimo!!!

  2. O meu face entao, parece conversa de bar. Como nao dà pra ir no bar todo dia, de segunda a sexta uso o face!!!!
    jà percebeu, né!!

  3. Facebook = Revista Caras.
    Happy people only!

  4. pior que é bem assim msm. kkk


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.